20 de jan de 2017

Novo comandante quer aproximar o Exército da sociedade piauiense


O novo comandante do 25º BC, tenente-coronel Francisco Nixon Lopes Frota, anunciou nesta quarta-feira (18) que uma de suas metas é aproximar o Exército da população piauiense. Ele tomou posse no cargo este mês e visitou a TV e o site Cidadeverde.com
“A defesa nacional não se faz sozinho com as forças armadas. Muitas pessoas pensam que defesa nacional é um assunto exclusivo das forças armadas, do Exercito, e não é. A defesa nacional é responsabilidade de todos e para que isso ocorra com sinergia é importante que o Exército conheça cada vez mais a sociedade, demanda e sua realidade”, defendeu o comandante.
Sobre o 25º BC, Nixon Frota ressaltou a responsabilidade de comandar um batalhão centenário. 
“Um desafio, pois é um batalhão que desde o meu tempo de aspirante, sempre desejei servir e não tinha conseguido, mas agora vim pra essa missão de comandar. Uma grande responsabilidade”, disse o tenente-coronel.
Ele ressaltou o grande alcance social que é a operação carro-pipa, que será mantido no Piauí atingindo uma população de mais de 225 mil pessoas no interior do Estado.
“A operação é contínua. Hoje estamos com 64 municípios com operação carro-pipa, empregamos os homens do batalhão em sistema de rodízio para evitar problemas e realizar com êxito a operação”.
Essa semana, o Exército fechou com 1.250 pipeiros que foram pagos pelos meses de novembro e dezembro. Foram liberados R$ 8,7 milhões do Ministério da Integração.
“O Batalhão expressa bem o slogan do Exército brasileiro: braço forte, mão amiga”, ressaltou. 
Mais médico
O novo comandante informou que dia 26 de janeiro o Exército vai recepcionar os 47 profissionais do Mais Médico que chegarão no Estado. O Exército fará a distribuição dos médicos. A lista foi enviada pelo Ministério da Saúde. 
Crise nos presídios
Caso seja solicitado pelo governo do Estado e autorizado pelo Ministério da Defesa, o 25º BC tem condições de dar auxilio na segurança dos presídios do Piauí. 
“Se isso vier a ocorrer e o Ministério da Defesa autorizar, ainda passará pelo comandante do Exército, e na sequência comandante do Nordeste e o nosso que é 10ª região militar. Temos efetivo, sim, para auxiliar os presídios, mas vai depender da demanda e a missão”.
 Créditos Cidade verde / Blog do Capitao Fernando