24 de jun de 2016

País contará com satélite israelense de alta resolução na Rio 2016

Em Campo Grande, o ministro visitou no CMO, o Centro de Operações da Ágata 11

O equipamento também apoiará ações na fiscalização das fronteiras. Foto reprodução.


O ministro da Defesa, Raul Jungmann, em visita à área de operações da Ágata 11 no Paraná e Mato Grosso do Sul, neste final de semana, anunciou, na Base Aérea de Campo Grande, que o Brasil vai contar com um satélite de alta resolução para ser utilizado durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.
"Nesta segunda-feira (20), estaremos apresentando uma nova ferramenta, um satélite israelense de baixa altitude, com capacidade de definição em até 50 cm em um espaço de 450 km. Ele é capaz de visualizar e identificar objetos, pessoas, carros, mercadorias", declarou Jungmann.
Ainda de acordo com o ministro, o satélite estará disponível, experimentalmente, por seis meses, complementando a segurança e, futuramente, apoiando na fiscalização das fronteiras.
Sobre a segurança nas fronteiras, Jungmann assegurou que a solução é a implantação definitiva do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), projeto estratégico de defesa, coordenado pelo Exército. "Para 2017, a prioridade será ampliar os recursos para a implantação definitiva do Sisfron”, afirmou o ministro da Defesa.
Ágata 11
Raul Jungmann foi a Foz do Iguaçu, na sexta-feira (17) pela manhã, acompanhar as ações da Ágata 11. O ministro sobrevoou a região da Tríplice Fronteira. Até aquele momento, tinham sido vistoriados mais de 10 mil veículos, apreendidos 10 armas de uso exclusivo das Forças Armadas e 220 munições, além de três toneladas de explosivos e 12 prisões.
Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Defesa