29 de jan de 2016

Aldo visita obras de engenharia militar para integração do São Francisco

Floresta (PE), 14/1/2016 – Nos dois eixos (Leste e Norte) que formam o Projeto de Integração do Rio São Francisco, o Exército Brasileiro desenvolve obras de engenharia fundamentais para o sistema de captação das águas do rio. Nessa quarta-feira (13), o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, conheceu de perto uma parte do que os militares realizam: o canal de aproximação, o reservatório de Areias e a estrada de acesso às estações de bombeamento do Eixo Leste, no município de Floresta (PE).
Foto: Josimar Santanna
Comandante Emerson Bezerra, do 3º Batalhão de Engenharia de Construção, falou sobre os benefícios do projeto para o Exército e para a qualificação dos jovens recrutas
Comandante Emerson Bezerra, do 3º Batalhão de Engenharia de Construção, falou sobre os benefícios do projeto para o Exército e para a qualificação dos jovens recrutas
“Esta obra demonstra nossa capacidade de vencer as nossas desigualdades. E oferece à população e ao governo federal uma obra de relevância e de inclusão social como poucas no Brasil”, disse o ministro sobre o projeto. Rebelo elogiou as obras de engenharia militar e ressaltou o benefício da construção para o treinamento das tropas e a capacitação dos recrutas.
Acompanhado do comandante militar do Nordeste, general Manoel Pafiadache, Rebelo verificou o andamento das obras das estradas próximas à Estação de Bombeamento número 1, para a qual correm as águas do canal de aproximação feito pelos engenheiros militares e que faz a captação na reserva de Itaparica, no município de Floresta.
A construção das estradas 1, 2 e 3 estão sob a responsabilidade do 3º Batalhão de Engenharia de Construção (3º BEC), localizado em Picos (PI), na área de abrangência do Comando Militar do Nordeste (CMNE). O comandante Emerson Bezerra de Lima, chefe do batalhão, também destacou como um dos grandes benefícios do projeto para o Exército o treinamento dos militares e a qualificação dos jovens recrutas.
“Fazemos a qualificação do jovem soldado, dando a ele mais oportunidade de inserção no mercado”, afirmou.
As estradas construídas pela engenharia militar do 3º BEC darão acesso às estações de bombeamento e terão como objetivo transportar a bomba e servir de via para a manutenção das estações. A extensão da estrada 1 é de três quilômetros; da estrada 2, de 12, 7 quilômetros; e da estrada 3, de 21 quilômetros.  
O Projeto de Integração do Rio São Francisco é a maior obra de infraestrutura hídrica do País. Ela terá 477 quilômetros de extensão em dois eixos (Leste e Norte) e vai garantir a segurança hídrica de 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba.
O empreendimento engloba a construção de 14 aquedutos, nove estações de bombeamento, 27 reservatórios, nove subestações de 230 quilowatts, 270 quilômetros de linhas de transmissão em alta tensão e quatro túneis.
Eixo Norte
No Eixo Norte, o CMNE atua também na construção do canal de aproximação, do reservatório Tucutu e da estrada de acesso à estação de bombeamento. Outra responsabilidade do comando foi a construção de vilas produtivas rurais, com casas, escolas, postos de saúde e associações, que têm a finalidade de realocar as famílias cujos imóveis foram impactados pela desapropriação das terras destinadas para o projeto.
O CMNE trabalha, ainda, no programa de revitalização do Rio São Francisco, no qual é responsável por conter barrancos para controlar processos erosivos, melhorar a navegabilidade e recuperar as matas ciliares, em toda a calha do rio.
Segundo Rebelo, a obra tem uma elevada relevância social, porque protege a população, com o fornecimento de água potável e doce, e enfrenta o desafio de apoiar a sobrevivência das populações sertanejas. “A obra ajuda a fixar as populações do sertão e do semiárido e tem um sentido cultural porque preserva a cultura da população sertaneja”, afirma.
Participaram da comitiva o secretário geral do Ministério da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, e o chefe de Assuntos Estratégicos do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general Gerson Menandro.
Assessoria de Comunicação
Ministério da Defesa