14 de out de 2015

em 42 modalidades. Paz entre governo colombiano e as Farc é uma vitória de toda a América Latina, defende Dilma




09102015-_TUK1311
Dilma: êxito dessa negociação transcende fronteiras e o Brasil quer cooperar com essa fase de pós-conflito. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR



A presidenta Dilma Rousseff abriu a declaração que fez à imprensa, nesta sexta-feira (9), em Bogotá, na Colômbia, transmitindo o reconhecimento do Brasil pela decisão que ela chamou de “corajosa” do governo colombiano de implementar o processo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Para a presidenta Dilma, o anúncio desse acordo, feito no final do mês de setembro em Cuba, pelo presidente Santos e pelo líder guerrilheiro Timoleón Jiménez, é um orgulho para toda a América do Sul e transcende as fronteiras da Colômbia e de toda a América Latina.
O acordo colocará fim a décadas de um conflito armado que vitimou cerca de 220 mil pessoas e forçou o deslocamento de mais de seis milhões de colombianos para fora de suas regiões de origem, tanto por parte das forças oficiais quanto guerrilheiras.
“Quero aproveitar esta ocasião para transmitir o reconhecimento do Brasil, e meu apreço pessoal, por sua decisão corajosa ao implementar o processo de paz, aqui na Colômbia com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Abrir esse processo é um orgulho para toda América do Sul, para todo esse hemisfério. Acredito que o êxito dessa negociação transcende as fronteiras de seu país. Transcende as fronteiras também da América Latina (…) Em um momento em que nós vemos, no mundo, quase uma impotência em estabelecer acordos de paz, essa sua vitória vai ser uma vitória de todos nós”, defendeu a presidenta.
Além disso, Dilma enfatizou que o processo de paz é resultado de disposição e vontade política, que tem recebido apoio de diversos países e organizações, como é o caso da Unasul.
Ela acrescentou a disposição do Brasil em cooperar com a fase pós-conflitos na Colômbia e de contribuir para a reconstrução do país, a partir de experiências brasileiras bem sucedidas, em áreas como agricultura familiar e comercial, infraestrutura e inclusão social.
Eu gostaria de dizer que o Brasil tem imenso interesse em cooperar com a fase pós-conflitos, com a reconstrução tanto no que se refere ao Plano Nacional de Agricultura, contribuindo com a nossa experiência na área da agricultura familiar e da agricultura comercial, como também nos dispondo a cooperar nas questões relativas a infraestrutura com foco em inclusão social que também pode vir a facilitar bastante o desenvolvimento das áreas que até então estavam conflituadas”, acrescentou.

Conflito
Iniciada no início dos anos de 1960, após décadas de lutas regionais, a guerra civil colombiana é um dos conflitos internos mais antigos da América Latina e envolve a disputa entre forças conservadoras e guerrilheiras pelo poder na Colômbia. O conflito propagou-se com o tráfico de drogas, gerando consequências trágicas para a Colômbia, com reflexos até hoje para o cenário político colombiano e para a população civil do país.