25 de set de 2015

Putin diz que apoio ao regime é único caminho para fim de guerra na Síria

O presidente russo, Vadimir Putin, durante uma reunião sobre agriculura em Rostov, na Rússia, nesta quinta-feira (24) (Foto: Alexei Nikolsky/Ria Novosti/AFP )

O presidente russo, Vadimir Putin, durante uma reunião sobre agriculura em Rostov, na Rússia, nesta quinta-feira (24) (Foto: Alexei Nikolsky/Ria Novosti/AFP )



Líder russo disse que apenas o povo sírio pode substituir seu presidente.
Ele se encontrará com Obama na segunda para discutir crise.


O presidente russo, Vadimir Putin, acredita que o único caminho para acabar com a guerra na Síria é apoiar o atual regime em Damasco em sua luta contra o terrorismo, revelam trechos de uma entrevista divulgados nesta quinta-feira (24) pela TV americana.
Em declarações ao programa "60 minutos" da CBS que irá ao ar no domingo (27), o líder russo reafirma sua posição de que apenas o povo sírio pode decidir quando substituir o presidente Bashar al-Assad, e quando.
Perguntado pelo jornalista Charlie Rose sobre se o apoio militar russo à Síria é desenhado para socorrer Assad, o líder russo concordou e disse: "é minha profunda crença que qualquer ação na direção contrária - para tentar destruir um governo legítimo - vai criar uma situação que já observamos em outros países e outras regiões, como a Líbia, por exemplo, onde todas as instituições estatais foram desintegradas".
"Não há outra solução para a crise síria do que reforçar a efetividade das estruturas do governo e ajudá-lo em sua luta contra o terrorismo, mas ao mesmo tempo promovendo sua participação em um diálogo positivo com uma oposição racional e a realização de reformas", avaliou.
Nesta quinta-feira, o secretário americano de Defesa, Ashton Carter, estimou que Estados Unidos e Rússia podem encontrar "áreas de cooperação" para resolver o conflito na Síria.
Se a Rússia busca uma solução política para a crise na Síria e não apenas atacar de maneira "indiscriminada" todos os adversários do presidente Bashar al-Assad, "podemos encontrar áreas de cooperação", disse Carter.
"Mas se, ao contrário, pretende jogar mais gasolina no fogo da guerra civil, não será produtivo", destacou Carter no Pentágono após se encontrar com o ministro ucraniano da Defesa, Stepan Poltorak.
Putin se reunirá com o presidente americano, Barack Obama, na próxima segunda-feira, em Nova York, à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas.
Os Estados Unidos têm manifestado sua preocupação com o crescente apoio de Moscou ao regime sírio, em particular com o envio de aviões, tanques e militares para o norte da Síria.
EUA
O secretário americano de Defesa, Ashton Carter, disse que Estados Unidos e Rússia podem encontrar "áreas de cooperação" na Síria.

Se a Rússia busca uma solução política para a crise na Síria e não apenas atacar de maneira "indiscriminada" todos os adversários do presidente Bashar al-Assad, "podemos encontrar áreas de cooperação", disse Carter.
"Mas se, ao contrário, pretende jogar mais gasolina no fogo da guerra civil, não será produtivo", destacou Carter no Pentágono após se encontrar com o ministro ucraniano da Defesa, Stepan Poltorak.
Os Estados Unidos têm manifestado sua preocupação com o crescente apoio de Moscou ao regime sírio, em particular com o envio de aviões, tanques e militares para o norte da Síria.
Moscou nega que promova uma escalada militar, mas admite que apoia o governo sírio em sua luta contra os jihadistas do Estado Islâmico e entrega armas conforme acordos previamente firmados.
G1 / Blog do Capitão Fernando