16 de set de 2015

Operação Curare VI inicia-se na Região de Fronteira Norte do País

Foto EB

Boa Vista – No dia 8 de setembro, a 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda Inf Sl) deu início à Operação Curare VI, que tem a finalidade de reprimir crimes transfronteiriços e ambientais, como o narcotráfico, o contrabando e o descaminho, o tráfico de drogas, os crimes ambientais, a imigração ilegal e o garimpo ilegal, além de intensificar a presença do Estado Brasileiro junto à faixa de fronteira.

Na Operação Curare VI, a Brigada cumprirá ações amparadas pela Constituição Federal e pelas Leis Complementares 97/1999, 117/2004 e 136/2010. Para isso, contará com o apoio de agências parceiras, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais (IBAMA), a Receita Federal do Brasil, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e o Departamento Nacional de Produção Mineral.

Além da parte de combate a ilícitos, também serão realizadas ações cívico-sociais, a fim de levar o atendimento médico, odontológico e social a locais em que estão sendo realizadas as operações, levando um pouco mais a presença do Estado à população necessitada.

A Operação Curare VI, que ainda tem como objetivo reforçar, junto à sociedade, o sentimento de nacionalismo e de defesa da Pátria, ocorrerá em todo arco fronteiriço e interior do Estado de Roraima. As áreas de atuação específicas serão mantidas em sigilo para possibilitar o efeito surpresa, garantindo, assim, maior eficácia. Um exemplo das operações realizadas no primeiro dia foi a que levou à destruição de uma pista de pouso não cadastrada que apoiava o garimpo ilegal. A pista, denominada Noronha, estava localizada no noroeste do Estado, em Terras Indígenas Yanomami.

A Curare VI conta com a participação inédita de militares que estão realizando o Curso de Operações na Selva, oriundos do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) em Manaus e que se encontram em Roraima para colocar em prática os ensinamentos transmitidos no decorrer das instruções.
Créditos EB / Blog do Capitão Fernando