18 de mai de 2015

Parecer do assessor de economia do presidente do PC do B sobre o investimento de R$ 53 bilhoes que a China vai investir no Brasil

China investirá R$ 53 bilhoes em infraestrutura no Brasil. Foto reprodução.

A visita do primeiro-ministro chinês (Li Keqiang) ao Brasil e o pacote de US$ 53 bilhões em investimentos marca a continuidade de mudanças no estado das coisas no mundo. Não se trata simplesmente da "diplomacia das infraestruturas". Trata-se de uma "diplomacia do Princípio da Demanda Efetiva e da comércio externo planificado". Exportação da prosperidade chinesa. Do outro lado (imperialismo) é a diplomacia da Preferência pela Liquidez, dos empréstimos cheio de condicionalidades (FMI, Banco Mundial), da guerra, drones, da expansão da miséria e da compra de jornalistas, intelectuais serventes e demais macaquinhos amestrados ("poupança precede investimento", "o Brasil não tem poupança", o negócio é "combater a inflação" etc etc). Cala fundo a forma como os chineses estão se colocando no mundo. Um novo paradigma. Uma luta de classes entre capitalismo x socialismo alçado a um patamar inimaginável de política gigante.