27 de mai de 2015

Entenda porque a tentativa de fundação do Partido Militar (mais afeto a militares das FFAA) e do Partido da Defesa Social (mais afetos a militares das PM) são irreais, na prática.


A Direita Brasileira simplesmente não possui nenhuma representatividade política no país. 
O ex-PDS, o ex-ARENA, o ex-PFL, hoje é representado pelo quase ex-DEM, que foi literalmente implodido com a criação do PSD, pelo hoje ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD-SP) e pela ministra da Agricultura Katia Abreu, que inclusive já migrou para o PMDB.

Hoje os interesses dessa direita é defendido pelo aparato midiático burguês: Veja + Istoé + Rede Esgoto de TV + jornalecos fundados na Ditadura Militar, o que juntos formam a PIG - Partido da Imprensa Golpista.

Com esse problema, alguns militares das FFAA e das Forças Auxiliares sonham em ter um partido para chamar de seu, assim tentam, tentam, tentam - e vão morrer na praia - fundar o Partido Militar Brasileiro e o Partido da Defesa Social.

Querem ser puros, noivas virgens, lindas e deslumbrantes em um meio podre e marcado por um sentimento de repulsa por nossa sociedade. Dizem-se incorruptíveis - todos somos - e que não vão fazer coligações com ninguém! 

Porém, na prática, tais sonhos de fundação desses partidos políticos estão longe, longe, longe e muito longe da realidade, de efetivamente conseguir as milhares de assinaturas, disersas por 10 estados do país. E vamos supor que consigam, repito: não acredito! - a tendência é diminuição do número de partidos políticos no Brasil. 
Sugiro a leitura de uma análise divulgada hoje pelo vice-presidente nacional do DEM, ex-prefeito do Rio de janeiro e hoje vereador Cesar Maia (DEM-RJ), "POR QUE AS FUSÕES DE PARTIDOS AGORA SÃO TÃO IMPORTANTES? ", disponível aqui.


Leia também: