4 de ago de 2014

Uma contradição sem tamanho no Exército - artigo de opinião.

Platina de General de Exército. Foto Defesanet.
O Exército Brasileiro atravessa, assim como nosso Brasil, um processo de transformação.
Resumidamente, a carreira militar tem duas grandes subdivisões, a carreira dos oficiais e a das praças.

Segundo a última propaganda oficial do Exército Brasileiro, divulgada em diversos tipos de mídia, incluindo-se a TV, há a divulgação de que a Escola Preparatória de Cadetes do Exército é a porta de entrada para a Academia Militar das Agulhas Negras, onde se formam os Oficiais Combatentes de nosso país.

Durante a carreira militar, nosso pessoa faz diversos cursos e estágios, uns à sua escolha, outros obrigatórios. Dentre os cursos que o militar pode fazer, de sua livre escolha, é o Curso de Ações de Comandos, onde o combatente é literalmente testedo até o seu limite máximo. Considerado por muitos como o curso mais difícil do Exército.

Ocorre que no dia 31/07/2014, a presidenta Dilma promoveu ao posto de General de Brigada o então coronel intendente Eduardo Pazuelo, que tem o curso de Comandos, dentre outros cursos, em seu curriculo. Porém, para o Exército Brasileiro, os Intendentes não são considerados tecnicamente como "Combatentes", muito embora os oriundos de Material Bélico o são.

A meu ver, opinião pessoal, uma contradição sem tamanho e que nosso Exército em breve vai resolver. Acredito nisso e vou continuar o meu trabalho para que nós Intendentes possamos um dia também ter nossa (as) vagas (as) cativas dentre os oficiais generais de 4 estrelas e, quem sabe até, termos o Comandante do Exército e também Ministros do STM oriundos do nosso glorioso Serviço de Intendência.
Eis mais uma do Capitanismo!

http://capitaofernando.blogspot.com.br/2014/08/presidenta-dilma-promove-novos-oficiais.html