21 de dez de 2013

Parte dos caças Gripen NG serão fabricados no Brasil, mais particularmente no RS. Caças poderão receber os melhores equipamentos e armamentos do mundo, sendo o limite o armas nucleares.


A empresa sueca Saab confirmou nesta sexta-feira a parceria com a AEL Sistemas S.A., baseada em Porto Alegre, para fornecimento de aviônicos (componentes) para os 36 caçasGripen NG a serem adquiridos pela Força Aérea Brasileira (FAB). A colaboração entre as duas companhias, que firmaram um memorando de entendimento em 2009, havia sido anunciada em abril deste ano pela fabricante do Gripen caso o modelo fosse escolhido pela Aeronáutica. O novo caça será o primeiro projeto comum entre a Saab e a AEL. Ainformação de que a empresa baseada no Estado estava habilitada a fornecer componentes para o avião escolhido pela FAB foi dada nesta quinta-feira por este blog.
– Temos muitas discussões com eles (a AEL), e é claro que concluímos que é uma empresa realmente capacitada que se sairá bem como fornecedora do Gripen – afirmou Lennart Sindahl, vice-presidente executivo sênior da Saab, de Brasília, por telefone.


A AEL Sistemas, de capital israelense, é especializada em defesa eletrônica, componentes espaciais e interface de comunicação e integra o projeto de um polo aeroespacial no Estado.

Segundo Sindahl, o NG colocará o modelo Gripen na “próxima geração”, com um aumento substancial da capacidade da aeronave.

– O radar do avião terá um alcance maior, que permitirá o uso de armas de longo alcance de uma maneira que seria impossível nos modelos anteriores. O sistema eletrônico de autoproteção será o mais moderno encontrado em qualquer caça em termos globais, incluindo nossa concorrência. Aumentaremos o tempo que a aeronave pode ficar no ar, o tempo de voo ou alcance, além de aumentar a carga e a capacidade de comunicação. Nós aperfeiçoaremos o aparelho – explicou o executivo.

Atualmente, depois de dois anos de testes com um demonstrador de tecnologia (um modelo antigo, o Gripen D, equipado com a tecnologia do NG), está em operação um primeiro protótipo do Gripen NG com novos radar, sistema eletrônico e software. O segundo protótipo será idêntico ao caça de série. Sindahl afirma que a aeronave, de acordo com solicitação da FAB, poderá trabalhar com qualquer sistema de armamento.

– Podemos trabalhar com armamento brasileiro, sul-africano, francês, americano, sueco. Enfatizo que treinaremos os brasileiros para integrar os sistemas de armamento por si mesmos, mas não há limite em relação ao que pode ser integrado, exceto que não podemos carregar armas nucleares – disse o vice-presidente da Saab.

A respeito da afirmação do ministro da DefesaCelso Amorim, na entrevista coletiva de quarta-feira, de que o Brasil buscaria um acordo de empréstimo de um certo número de modelos antigos do Gripen até a entrega dos NG, Sindahl afirmou ter ouvido que o assunto está sendo discutido entre os governos brasileiro e sueco. Créditos ZH