17 de mar de 2015

Na Lista do Swissleaks, donos da mídia e jornalistas

Grandes empresários da mídia e jornalistas brasileiros estão entre os primeiros – já apareceram duas outras listas, com bicheiros e com proprietários de empresas de ônibus do Rio – estão entre as primeiras listas que começam a ser divulgadas entre os que tinham contas secretas no HSBC da Suíça no escândalo conhecido como Swissleaks. A denúncia é de que causavam evasão fiscal em seus países ao depositar fortunas nestas contas na Suíça.
Aparecem ao lado de milionários norte-americanos, de ditadores e políticos de todo o mundo, estrelas de Hollywood, reis e executivos brasileiros que também já apareceram na Operação Lava-Jato. Entre 2006 e 2007 eles tinham contas numeradas no HSBC da Suíça. Do Brasil aparecem agora os nomes de 22 empresários de mídia e comunicação, além de 7 jornalistas.
Seus nomes foram revelados na série de reportagens que o jornal O Globo em parceria com o portal UOL (da Folha de S.Paulo)  está levantando e publicando desde a semana passada sobre o Swissleaks  Procurados, os empresários de mídia e jornalistas brasileiros localizados pela equipe dos dois veículos de comunicação que fazem as reportagens negaram a existência das contas numeradas na Suíça ou qualquer irregularidade.
As reportagens tem reafirmado que, à luz da legislação brasileira, ter conta bancária na Suíça ou em qualquer outro país não é ilegal, desde que seja ela declarada à Receita Federal. Os titulares também devem informar ao Banco Central (BC) quando o saldo for superior a US$ 100 mil.
Proprietários das Organizações Globo e Folha aparecem na lista
Nos documentos agora revelados pelos grupos Globo e Folha (UOL) constam os nomes como titulares de contas neste HSBC suíço os  proprietários do Grupo Folha, Octávio Frias de Oliveira e Carlos Caldeira Filho já falecidos. Luiz Frias (atual presidente da Folha e presidente do UOL) aparece como beneficiário da mesma conta, em 1990 e oficialmente encerrada em 1998. Em 2006/2007, os arquivos do banco ainda mantinham os registros, mas, no período, ela estava inativa e zerada.
O Grupo Folha e a família de Octávio Friasinformaram “não ter registro” da referida conta bancária e manifestaram sua convicção de que, “se ela existiu, era regular e conforme à lei”. Lily de Carvalho (também já falecida), viúva de dois jornalistas e donos de jornais, Horácio de Carvalho e Roberto Marinho, aparece na lista. Horácio de Carvalho foi proprietário do extinto Diário Carioca; Roberto Marinho dono das Organizações Globo.  Representantes das Organizações Globo não quiseram fazer comentários sobre a conta de Lily.
Também aparecem na lista de agora quatro integrantes da família Saad, dona da Rede Band de rádio e TV: O Grupo Bandeirantes, de João Jorge Saad, adiantou, via assessoria, que “não vai comentar o assunto”. Outro integrante da lista, o apresentador de TV Carlos Roberto Massa, o Ratinho do SBT e dono da “Rede Massa” (afiliada ao SBT no Paraná), que tinha uma conta com sua mulher em 2006/2007 na qual acumulava um saldo de US$ 12,5 milhões, explicou ao Globo/UOL que “todos os bens e valores de Carlos Roberto Massa e Solange Martinez Massa foram devidamente declarados”.
Do Grupo Edson Queiroz, de comunicação no Nordeste – dono da TV Verdes Mares e do “Diário do Nordeste”, de Fortaleza – estão Lenise Queiroz Rocha, Yolanda Vidal Queiroz e Paula Frota Queiroz (membros do conselho de administração). Elas tinham US$ 83,9 milhões em 2006/2007. Pelo Grupo Edson Queiroz, Lenise afirmou desconhecer a existência da conta. Luiz Fernando Ferreira Levy, outro da lista de donos da mídia, ex-presidente da extinta Gazeta Mercantil disse que não tinha a conta. Pela lista, ele teve conta no HSBC em Genebra entre os anos de 1992 a 1995.
Apresentador Ratinho também
Aloysio de Andrade Faria, do Grupo Alfa (Rede Transamérica), tinha US$ 120,6 milhões. O Grupo Alfa, de Aloysio de Andrade Faria, afirmou que não tinha “nada a declarar”. Dorival Masci de Abreu (morto em 2004), proprietário da Rede CBS de rádios (Scalla, Tupi, Kiss e outras), foi correntista da instituição financeira na Suíça por 9 anos – entre 1990 a 1998. Sua família disse, via assessoria, que não se manifestará.
João Lydio Seiler Bettega, dono das rádios Curitiba e Ouro Verde FM, no Paraná, tinha conta ativa em 2006/2007. O saldo era de US$ 167,1 mil. Sua mulher adiantou que o casal nunca teve conta na Suíça e que é correntista do HSBC-Curitiba. Fernando João Pereira dos Santos, do Grupo João Santos, com veículos de comunicação também no Nordeste (PE) e Sudeste (ES), tinha duas contas no período, com saldos de de US$ 4,4 milhões e US$ 5,6 milhões.  Ele não respondeu ao e-mail enviado por O Globo/UOL.
Anna Bentes, do Rio de Janeiro, casada com Adolpho Bloch (falecido), fundador do antigo Grupo Manchete, fechou sua conta no ano 2000.
Os sete jornalistas constantes da lista do pessoal de mídia com contas no HSBC são Arnaldo Bloch (“O Globo”), José Roberto Guzzo (Editora Abril), Mona Dorf (apresentadora da rádio Jovem Pan), Arnaldo Dines, Alexandre Dines, Debora Dines e Liana Dines, filhos de Alberto. Fernando Luiz Vieira de Mello, ex-rádio Jovem Pan, teve uma conta, que foi encerrada em 1999. Arnaldo Bloch e Guzzo garantiram nunca ter tido conta no HSBC suíço. Mona Dorf não foi localizada.

Dines informou que três dos seus quatro filhos (Arnaldo, Debora e Liana) “moram fora do Brasil há pelo menos 30 anos”. Por essa razão, não declaram imposto de renda aqui e que seu único filho que vive no Brasil (Alexandre) é apenas beneficiário das contas bancárias na Suíça. O jornalista Fernando Vieira de Mello Filho assegurou ao Globo/UOL que nem ele nem seu pai (já falecido) tiveram conta no HSBC suíço.
Créditos Blog do Zé.