17 de jul de 2014

Brasil e China projetam novas parcerias para a indústria de defesa

Brasília, 16/07/2014 – Brasil e China trabalham para ampliar as cooperações no desenvolvimento de produtos industriais de defesa. Nesta quarta-feira (16), o ministro da Defesa, Celso Amorim, se encontrou com o ministro da Ciência, Tecnologia e Indústria de Defesa da República Popular da China, Xu Dazhe, em reunião preparatória visando à celebração de parcerias nas áreas de sensoriamento remoto, telecomunicações e tecnologia. O acordo deverá ser assinado nesta quinta-feira (17) entre a presidenta Dilma Rousseff e o presidente chinês, Xi Jinping, no âmbito da VI Cúpula dos Brics, em Brasília.
 
No encontro, Amorim destacou que o acordo abre novas oportunidades de cooperação e de projetos conjuntos na área de defesa. O ministro destacou que Brasil e China são parceiros de longa data na produção de satélites de observação da Terra. “Outras áreas podem se abrir, como proteção marítima e de vigilância da fronteira terrestre”, afirmou.
O ministro disse ainda que o Brasil tem interesse em conhecer aspectos relativos à segurança nuclear e na área de defesa cibernética. Amorim afirmou que, em uma próxima reunião do comitê bilateral, pode ser debatido uma aproximação entre os centros de pesquisas e empresas dos dois países.
Já o ministro chinês fez questão de lembrar que a parceria entre os dois países remonta 40 anos de cooperação. Xu Dazhe também recordou o projeto do Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (Cbers). “Temos características diferentes em nossos países, mas temos pontos fortes, num diálogo de alto nível”, mencionou o ministro chinês.
Segundo o ministro Xu Dazhe, seu país tem interesse em expandir a cooperação em programas brasileiros de proteção aos recursos naturais, como o Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SISGAAz), além de dar continuidade à parceria espacial.
Foto: Jorge Cardoso
Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa