22 de mai de 2014

Prédio da Justiça Militar da União, em Porto Alegre/RS, é incendiado. Juiz-Auditor supõe intimidação.

Prédio da Justiça Militar teria sido alvo de incêndio criminoso Diogo Zanatta/Especial
Foto Diogo Zanatta.

Artefato incendiário teria sido jogado na sacada do edifício na área central da cidade.

Um atentado provocou um princípio de incêndio no prédio da Justiça Militar da União, no centro de Porto Alegre, no início da madrugada desta quinta-feira (22). Um artefato explosivo teria sido jogado de dentro de um carro branco que passou pelo local. Segundo o Corpo de Bombeiros, as chamas, que teriam começado por volta da meia-noite, atingiram uma sacada do segundo andar do edifício. 

O objeto atingiu a janela do gabinete do juiz Alcides Alcaraz Gomes, único magistrado da Justiça Militar da União na Capital. Apesar de não falar em suspeitas, o juiz não descarta a hipótese de ato criminoso.

— Parece que estão querendo intimidar. Mas é cedo para falar, é apenas uma suposição — disse.
O magistrado foi informado por telefone do incêndio e se dirigiu até o local.

— É a nossa casa. Na porta do nosso local de trabalho — desabafou.

As chamas destruíram a persiana da janela e chamuscaram as paredes internas da sala. De acordo com o juiz, a ação rápida dos bombeiros foi fundamental para evitar maiores danos ao prédio. Por volta da 0h25min, o fogo já havia sido controlado. A polícia está investigando o caso. Créditos Zero Hora.